Coronavírus força a férias coletivas em montadoras no Brasil

Dispersão do Covid-19 já está afetando a produção de automóveis também no país, e diversas marcas já decretaram medidas de contenção

A pandemia de Coronavírus está afetando a produção de automóveis no Brasil e no mundo. No ABC paulista, uma fábrica já determinou férias coletivas para seus funcionários e outra aguarda autorização. Montadoras também implementam planos de contenção no resto do país, enquanto greves e paralisações ocorrem em outras nações.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a Volkswagen já entrou com pedido de férias coletivas de 10 dias para todos os operários da fábrica a partir do dia 30 de março. Férias coletivas devem ser aprovadas com 15 dias de antecedência devido à legislação brasileira.

Se autorizado, o intervalo no trabalho poderia durar até o dia 13 de abril. Contudo, a montadora esclarece que ainda não decidiu se vai tomar essa medida.

Nas fábricas da Toyota e Scania na região, outras medidas estão sendo adotadas para conter o Coronavírus. Funcionários com mais de 60 anos e grávidas não precisam comparecer ao trabalho.

Enquanto isso, funcionários de setores administrativos das quatro fabricantes estão trabalhando de casa.

Nas plantas da Mercedes-Benz de todo o país, incluindo no ABC, férias coletivas já foram determinadas, com a duração de 20 dias. O afastamento terá a duração de 20 dias, começando em 30 de março e terminando no dia 19 de abril. Também haverão folgas, debitadas dos banco de horas dos funcionários, nos dias 25, 26 e 27 de março, e 20 de abril.

A montadora prevê que que as atividades retornem ao normal no dia 22 de abril, a depender da situação.

Mais decisões deve ser tomadas pelas fabricantes nos próximos dias, em um cenário que permanece imprevisível devido à dispersão do Coronavírus.

Coronavírus e fábricas de outras regiões

Em outras localidades, considerando que o epicentro brasileiro está em São Paulo, medidas mais brandas estão sendo tomadas. Nas plantas da FCA em Betim (Minas Gerais) e Goiana (Pernambuco),  foi implementada uma distância mínima de dois metros entre os trabalhadores.

Assentos foram reduzidos em 50% nas áreas de convivência, como restaurantes. Também foi ampliada a permissão para certos trabalhos serem feitos remotamente, quando possível.

A FCA também cancelou todos os seus eventos presenciais devido ao Coronavírus.

Medidas semelhantes estão sendo adotadas por outras fabricantes, segundo informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Funcionários de setores administrativos passam a trablhar em regime de home office, e reuniões e viagens estão sendo canceladas.

“A prioridade é a saúde dos nossos mais de 125 mil colaboradores diretos em 67 fábricas e 10 estados, e também a de seus familiares”, declara o presidente da entidade, Luiz Carlos Moraes. São 26 empresas associadas à Anfavea.

Greves e paralisações no mundo

Globalmente, funcionários estão entrando em greve enquanto sindicatos pressionam as empresas por atitudes de preservação da saúde de seus funcionários.

Nos Estados Unidos, o sindicato nacional United Auto Workers encorajou funcionários da General Motors, Ford e FCA a interromperem o funcionamento de fábricas em todo o país.

As três grandes fabricantes de Detroit negociaram um período de 48 horas para tomar decisões de contenção ao Coronavírus nos locais. Esse prazo acaba hoje.

No Canadá, uma fábrica da Fiat Chrysler Automobiles ficou sem funcionar por 24 horas após os funcionários se recusarem a trabalhar, na semana passada.

Em outra fábrica da mesma companhia, em Indiana (EUA), um funcionário testou positivo para o COVID-19. O local permanece em funcionamento.

Coronavírus na Europa

Na cidade de Vitoria, na Espanha, uma fábrica da Mercedes-Benz com cerca de 5 mil funcionários entrou em greve na segunda-feira. Foi identificado um caso positivo de Coronavírus no local, e diversos outros suspeitos, que ficaram em quarentena.

A marca, que produz vans no local, não suspendeu o funcionamento, levando os operários à paralisação.

Outras fábricas automotivas do velho continente serão fechadas devido à pandemia viral. Na Europa, o contágio da doença alcança mais pessoas que nos Estados Unidos, e a Itália já é o segundo maior foco do mundo.

O Grupo Volkswagen, Ford, PSA (Peugeot Citroën), Nissan, FCA, Ferrari, Renault e Daimler estão interrompendo o funcionamento de suas principais plantas na região por tempo indeterminado devido ao Coronavírus.

Permanecem em funcionamento as fábricas de alguns países.

montadora-fabrica-automoveis-carros-shutterstock Coronavírus força a férias coletivas em montadoras no Brasil
Dispersão do Coronavírus já está afetando a produção de automóveis também no país, e diversas marcas já decretaram medidas de contenção

Fonte: https://autopapo.com.br/noticia/coronavirus-fabricantes-carro-ferias-coletivas/